Produtores de tangerina do interior de SP estão animados com a safra

Estiagem prolongada não atrapalhou a produção. Preço pago pela caixa subiu no mercado.
Os produtores de tangerina de São Paulo estão animados com a colheita. A estiagem prolongada não atrapalhou a produção e o preço pago pela caixa da fruta subiu.
Os pés carregados de tangerina surpreenderam até mesmo o produtor. Uma fazenda em Ubirajara, centro-oeste de São Paulo, é a maior produtora da fruta na região e só este ano, até agora, 400 mil caixas foram colhidas, 500 a mais que na safra passada, mesmo com a estiagem.
Para driblar a falta de chuva, os produtores apostaram em um manejo diferenciado. Desde a florada, cada pé recebeu uma pulverização com todos os nutrientes necessários, inclusive água.

"Nós fazemos um manejo integrado contra pragas e doenças, no qual disponibilizamos para a planta o que realmente ela necessita e na época certa. Nós disponibilizamos água através das pulverizações, que são feitas quinzenalmente”, explica Cinthea Oliveira, engenheira agrônoma.

O custo da produção aumentou em 8%, mas o investimento compensou. O preço da fruta nunca foi tão bom, de R$ 1 o quilo, passou para R$ 1,50.
A colheita da tangerina no centro-oeste de São Paulo vai até março. De acordo com o Sindicato Rural de Ubirajara, 10% dos produtores da região desistiram da cultura por conta da seca, mas quem se manteve no mercado, agora faz o preço e tem fruta de boa qualidade até para exportação.
"Ela ficou bem uniforme, na questão do tamanho, e a tendência é melhorar o grau bricks, que seria o açúcar, e manter uniforme o tamanho que a gente espera”, explica Danilo Guerra, produtor rural e administrador (Globo Rural, 12/11/14)