Arroz e feijão devem ganhar mais espaço na ceia do brasileiro em 2014

Os cereais, normalmente esquecidos durante o período de festas de final de ano, poderão ter um comportamento diferente em 2014.
A tradicional tendência de queda de preços, devido à menor demanda, vai ocorrer, mas em ritmo menor do que normalmente.
A avaliação é de Vlamir Brandalizze, da consultoria Brandalizze, de Curitiba. A situação econômica nada favorável e o endividamento crescente da população vão inibir a compra dos tradicionais produtos de Natal e manter parte dos consumidores fiéis ao arroz e feijão.
Apesar desse movimento, Brandalizze ainda vê preços fracos para arroz e feijão neste final de ano. No próximo mês, começa a chegar feijão novo ao mercado. Já o arroz se mantém no período de entressafra.
Nesta semana, o preço do feijão está em queda, com a saca negociada, em média, a R$ 102, um valor 3% inferior ao registrado nas negociações da semana passada, aponta pesquisa da Folha.
Brandalizze diz que essa retração é normal neste período do mês, mas que, a partir do dia 20, quando as redes de varejo começam a fazer as compras para repor estoques, os preços voltam a subir.
Ao ser negociado a esse patamar, o feijão mantém queda de 2,3% em relação aos valores de igual período de 2013.
Os dados mais recentes da Conab (Companhia Nacional de Abastecimentos) indicam que a produção de arroz do Rio Grande do Sul ficará entre 8 milhões e 9 milhões de toneladas na safra 2014/15.
Já a produção total de feijão deverá ficar em 3,15 milhões de toneladas. Se confirmado esse volume indicará uma queda de 8% em relação à safra anterior (Folha de S.Paulo, 14/11/14)