Clima favorável faz preços da soja despencarem, diz Cepea

Cultivo da oleaginosa ganha ritmo no Brasil. Nos Estados Unidos a colheita está na reta final.

As chuvas recentes pressionaram as cotações da soja no Brasil, disse nesta segunda-feira (24) o Cepea. Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, o cultivo ganha ritmo e muitos passam a considerar que a produtividade ainda pode ficar em níveis satisfatórios.
"O clima mostrou-se favorável também à produção dos Estados Unidos, onde a colheita está na reta final e o tempo firme estimula os trabalhos. Como resultado, as altas observadas até a primeira quinzena do mês tornaram-se quedas na última semana", disse o Cepea em seu alerta de mercado.
No Brasil, esse comportamento dos preços foi influenciado também pela diminuição da procura por parte das indústrias esmagadoras, que estiveram bastante ativas anteriormente em função da demanda por farelo de soja, disse ainda o Cepea.
O Indicador da soja Paranaguá ESALQ/BM&FBovespa, que é baseado em negócios realizados na modalidade spot, referentes ao grão depositado no corredor de exportação, permaneceu arbitrado em R$ 61,17/sc de 60 kg, informou.
No estado do Paraná, a média ponderada, refletida no Indicador CEPEA/ESALQ, teve forte queda de 3,36% em sete dias, indo para R$ 62,37/sc de 60 kg na sexta-feira, 21 (G1, 24/11/14)