TV BrasilAgro: lideranças e sindicalistas comentam o evento de Sertãozinho

No TV BrasilAgro desta semana lideranças da cadeia produtiva sucroenergética e sindicalistas comentam a importância do primeiro ato público de protesto contra a crise no setor canavieiro que será realizado na manhã desta 3ª feira (27) em Sertãozinho.
Participam do programa Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura e atual presidente do Conselho Deliberativo da Única – União da Indústria da Cana-de-Açúcar, Manoel Ortolan, presidente da Orplana – Organização dos Plantadores de Cana da Região Centro Sul, Antonio Vitor, vice-presidente da Força Sindical SP e diretor da Força Sindical Nacional e Sebastião Macedo, gerente executivo do CEISE Br – Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis.
Também participam os sindicalistas Samuel Márcio Marquetti, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sertãozinho e Jonathan Faleiros, presidente do Sindicato dos Comerciários de Sertãozinho.
Pela primeira vez na história de Sertãozinho, a cidade vai parar para realizar um protesto. Os estabelecimentos comerciais ficarão fechados até o final do evento, previsto para as 10h desta 3ª feira; as indústrias liberarão seus trabalhadores e caravanas de sindicalistas e de produtores de cana de todo o Estado também participarão da manifestação.
A Rodovia Armando Salles de Oliveira será fechada pela Polícia Militar e pela concessionária Vianorte no período da manifestação (Das 7h as 10h). Lideranças políticas já confirmaram participação no evento, dentre elas os presidentes dos partidos Solidariedade (Deputado Federal Paulo Pereira da Silva – SDD-SP) e da Rede de Sustentabilidade (Bazileu Margarido).
O ato público de protesto de Sertãozinho marca também o início do projeto “Governança Corporativa da Cadeia Produtiva Sucroenergética” que une trabalhadores, fornecedores de cana, usineiros e indústria de base e insumos. Uma marcha à Brasília integra as próximas ações deste projeto, segundo Evandro Ávila, coordenador e porta-voz do projeto. Ao mesmo tempo está sendo articulada a “Frente dos Governadores dos Estados Produtores de Cana-de-Açúcar”.
Desde o anúncio do início dos atos de protesto, o governo federal já anunciou duas medidas interrompendo o descaso com o qual vinha tratando o setor: aumento da Cide no preço da gasolina e aumento para 27,5% da mistura do etanol anidro à gasolina. Ambas as medidas são, com efeito, insignificantes em relação as 80 usinas que fecharam nos últimos meses e a demissão de 300 milhões de trabalhadores no setor agrícola nos últimos 6 ano.
O programa pode ser assistido na WEB TV do www.brasilagro.com.br.