Recorde na produção e queda no consumo derrubam o preço do ovo

Na região de Bastos, em SP, muitos granjeiros estão reduzindo o plantel. 
Setor teve um crescimento de 13% de acordo com o Sindicato Rural.
As granjas de São Paulo batem recorde na produção de ovos, mas o consumo não acompanha o ritmo e muitas aves estão sendo descartadas antes do tempo.
Nunca se produziu tanto ovo em Bastos. A região é a maior produtora de ovos do Brasil e chegou esse ano a uma produção recorde de 16 milhões de ovos por dia. O setor teve um crescimento de 13%, de acordo com o Sindicato Rural.
Só em uma granja, a produção diária é de 170 mil ovos, número 10% maior que o do ano passado.
Um bom resultado, não fosse o fato do consumo estar tão baixo.
Tem bandeja com ovo sendo deixada de lado até mesmo dentro do barracão: 15% dos ovos produzidos estão sobrando porque a grande oferta derrubou o preço.
A caixa com 360 ovos é comercializada a R$ 48,60, enquanto há um mês, a mesma caixa era vendida a R$ 50.
Muitos granjeiros estão reduzindo o plantel. Em outra granja, 20 mil aves serão descartadas nos próximos dias. “Infelizmente temos que descartar quatro ou cinco semanas antes do previsto para reduzir os gastos com ração e empregados neste momento difícil que estamos", explica José Ricardo Xavier, coordenador da granja (Globo Rural, 10/11/14)