Pesquisadores de SP constroem banco de dados sobre a citricultura

Ideia é ter uma estimativa mais precisa da safra. Levantamento está sendo feito em pomares de SP e do Triângulo Mineiro.

Um levantamento nos pomares de São Paulo e do Triângulo Mineiro vai trazer informações importantes para a citricultura, como a estimativa mais precisa da safra. A pesquisa está sendo chamada de "Censo da laranja".
Uma fazenda com mais de 300 hectares em Pirassununga foi uma das primeiras a receber a visita. O técnico percorre os talhões de olho nos detalhes. O primeiro passo é medir a área plantada e a distância entre as árvores, e assim é possível ter ideia de quantas estão produtivas.
Depois, ele anota outras informações por amostragem, como a idade da planta, a variedade do fruto e se o pomar tem irrigação.
A pesquisa vai produzir o maior banco de dados sobre a citricultura do país. Depois da coleta no campo, as informações vão direto para o computador e um programa calcula o número exato de árvores. Os técnicos comparam os dados com imagens de satélite, tiradas entre maio e outubro deste ano, a ideia é saber se a área plantada mudou.
Os técnicos do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), associação mantida pelos agricultores e pela indústria de suco, vão visitar mais de 700 municípios em São Paulo e no Triângulo Mineiro. Com o Censo, vai ser possível ter uma estimativa mais precisa da safra.
O gerente do Fundecitrus, Juliano Ayres, explica que hoje várias previsões são feitas pelas indústrias e pelo governo e o objetivo é ter um número só, oficial.
A estimativa de safra e o resultado do Censo devem ser divulgados em maio do ano que vem (Globo Rural, 6/11/14)